Anuncio

Breaking News
recent

Anuncio

Análise: Gabinete Corsair Graphite 230 T

                               (Fonte da imagem: Divulgação/Corsair)

Escolher o gabinete certo na hora de montar o computador é uma parte importante do processo. Afinal de contas, o case não é apenas uma caixa de metal que serve para manter as peças unidas. O gabinete é a cara do seu computador. É ele quem diz que tipo de máquina é aquela, o que ela pode fazer. Além de, é claro, manter todas as peças organizadas em seu interior.
Para garantir tudo isso, é preciso que o case tenha um visual adequado à sua proposta, um sistema de refrigeração suficiente e possa comportar todas as peças em seu interior sem que tudo fique “espremido” demais.
Nós já testamos alguns modelos da Corsair e agora estamos com mais um modelo em mãos. Trata-se do Graphite 230T, que é um modelo Mid-Tower desenvolvido para oferecer um bom desempenho e um visual diferenciado.

Especificações

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Embalagem

A embalagem que carrega o 230T é bastante tradicional, sendo uma caixa de papelão marrom duplo com diversas informações a respeito do modelo na parte de fora. Um desenho mostra o gabinete em detalhes, trazendo todos os recursos e portas de expansão encontradas no modelo. Uma etiqueta serve para diferenciar os modelos, já que existem cores diferentes. Na hora da compra, nunca deixe de conferir esses dados.
Por dentro também nada fora do tradicional. O gabinete é envolto em um plástico personalizado com algumas informações e acomodado em dois blocos de isopor que garantem a segurança do equipamento na hora do transporte. Nesse ponto é bom ver como a Corsair caprichou na embalagem de transporte, pois tudo é bastante robusto.
Junto com o gabinete, encontramos um manual de referência rápida que exibe o diagrama do equipamento e traz algumas informações mais básicas, como os itens que acompanham o produto.
A caixa de acessórios fica acomodada em um dos slots para HD. Isso evita que os parafusos fiquem dançando dentro do case na hora do transporte. Dentro dela encontramos os seguintes itens:
  • 4 amortecedores de borracha para os coolers;
  • 16 parafusos curtos para cooler;
  • 4 parafusos longos para cooler;
  • 18 parafusos para HD/placa-mãe;
  • 12 parafusos para SSD/Drive óptico;
  • 6 abraçadeiras de nylon na cor preta. 
Análise: Gabinete Corsair Graphite 230 T Análise: Gabinete Corsair Graphite 230 T Análise: Gabinete Corsair Graphite 230 T Análise: Gabinete Corsair Graphite 230 T Análise: Gabinete Corsair Graphite 230 T Análise: Gabinete Corsair Graphite 230 T Análise: Gabinete Corsair Graphite 230 T Análise: Gabinete Corsair Graphite 230 T Análise: Gabinete Corsair Graphite 230 T Análise: Gabinete Corsair Graphite 230 T Análise: Gabinete Corsair Graphite 230 T Análise: Gabinete Corsair Graphite 230 T Análise: Gabinete Corsair Graphite 230 T Análise: Gabinete Corsair Graphite 230 T Análise: Gabinete Corsair Graphite 230 T Análise: Gabinete Corsair Graphite 230 T 

Parte externa

O modelo que testamos mescla as cores laranja e preto na parte externa. As duas tampas laterais, a parte de cima e a parte de baixo são na cor laranja. Já a parte frontal, a parte de trás e a parte interna são inteiramente na cor preta fosca.
A parte frontal do gabinete é inteiramente gradeada, escondendo os dois coolers de 120 mm e, logo acima deles, três baias de expansão no tamanho 5,25’’. Sobre as baias está o painel de controle do 230T, que inclui os botões energia e reset mesclados em uma única peça — com aparência um pouco frágil. Essa é uma parte que poderia ter sido melhor trabalhada pela Corsair.
(Fonte da imagem: Tecmundo)
O painel também conta com os dois conectores de áudio para fones de ouvido e microfone e, para completar, duas portas USB 3.0, o que deve ser um banho de água fria em quem possui uma placa-mãe mais antiga que tenha suporte apenas a portas USB 2.0 e procura um novo gabinete. Esse detalhe, contudo, não deve afetar quem está montando uma máquina nova.
A parte superior é quase inteiramente perfurada, trazendo espaço de sobra para dois coolers de 120 ou 140 mm ou radiadores de 120, 240 e até 280 mm. Já na parte de trás encontramos o espaço para a fonte na parte inferior, sete slots de expansão e mais um espaço para o cooler de 120 mm.
Já embaixo temos um espaço para mais um cooler de 120 ou 140 mm no centro, e ao lado um espaço para o cooler da fonte. O destaque fica para o filtro de poeira que pode ser removido/desencaixado facilmente para a limpeza.
(Fonte da imagem: Tecmundo)
No geral, os detalhes externos do Graphite 230T são bastante agradáveis. O acabamento é muito bom e a pintura é bem aplicada. O aspecto dele é bastante sólido, e isso é ótimo, principalmente em um gabinete simples e de custo médio.
O destaque fica para a janela de acrílico posicionada na tampa lateral: a peça é levemente escura, o que garante o design de bom gosto criado pela Corsair e que deve combinar muito bem com iluminação interna personalizada.

Parte Interna

O Graphite 230T é um gabinete mid-tower tradicional, e o seu interior segue o padrão de mercado, sem muitas novidades. O principal destaque fica para a plataforma de suporte aos HDs. Assim como a maioria dos gabinetes full-tower, esse modelo pode ter os HDs acoplados lateralmente. As baias também oferecem clipes de proteção que travam assim que o drive é posicionado no local, eliminando a necessidade de parafusos.
(Fonte da imagem: Tecmundo)
Com isso, os cabos podem ficar escondidos ajudando na ventilação e na organização interna do gabinete. Para remover os drives, basta levantar os clipes e puxar o disco para fora, tudo muito simples e rápido.
O 230T também já oferece duas baias especificamente desenvolvidas para SSDs (que também podem ser utilizadas para o acoplamento de HDs para notebooks, já que eles possuem o mesmo tamanho de SSDs).
O único ponto negativo desse conjunto é que toda essa parte é construída em plástico. Por mais sólido que seja, sempre existe o risco de dano. Caso essa parte seja danificada (o que felizmente é difícil acontecer), não será possível fixar os HDs no interior do gabinete.
(Fonte da imagem: Tecmundo)
Já as três baias 5,25” localizadas na parte de cima são inteiramente construídas em metal e trazem um aspecto mais sólido. Aqui também encontramos clipes metálicos para a fixação dos drives ópticos (ou painéis de controle de coolers ou som, por exemplo).
O espaço interno é bem distribuído, mas a distância entre a parte de cima do gabinete e a placa-mãe é muito pequena, o que atrapalha um pouco a montagem de radiadores no lugar. Não é impossível, mas exige um pouco de criatividade, como a montagem do radiador por dentro e os coolers por fora do case, por exemplo.
(Fonte da imagem: Tecmundo)
Por outro lado, o gabinete pode receber water-coolers com radiadores menores na parte de trás. Para isso, a Corsair recomenda os modelos H55, H60, H75, H80i.

Conectores

Os cabos de conexão do painel frontal do gabinete são de boa qualidade, e há um detalhe que parece simples mas é importante: o conector de áudio HD do painel frontal é uma peça só. Outros cases trazem todos os fios separados, o que acaba sendo uma dor de cabeça na hora da montagem do PC.
Como citamos anteriormente, o gabinete não possui conectores USB 2.0 na parte frontal, apenas duas portas USB 3.0. Caso a sua placa-mãe seja mais antiga, você não poderá aproveitar esses conectores.

Suporte a Coolers, radiadores e filtros

O Corsair Graphite 230T já traz de fábrica três coolers de 120 mm. Os dois frontais são iluminados na cor laranja para combinar com o restante do gabinete, enquanto o traseiro é tradicional e mais discreto. Todos os três trazem o selo Corsair, o que garante a qualidade do conjunto. Durante os testes vimos que eles são bastante silenciosos, e isso sempre é um ponto muito positivo.
Os dois espaços para coolers frontais e o inferior, da fonte, possuem um filtro de poeira, um detalhe muito bem-vindo, principalmente se você for deixar o equipamento no chão. Afinal de contas, limpar um filtro é dezenas de vezes mais simples que limpar um cooler.
(Fonte da imagem: Tecmundo)
O filtro posicionado no espaço da fonte pode ser removido facilmente para limpeza, já o filtro dos coolers frontais exige um pouco mais de trabalho: é preciso remover toda a frente do gabinete para ter acesso ao material. Na hora de fazer isso é sempre bom ter cuidado para não quebrar os encaixes plásticos.
Outro detalhe muito bem-vindo nesse gabinete são os “amortecedores” para cooler. São borrachinhas que ficam entre o cooler e o gabinete e ajudam a diminuir o ruído causado pela vibração dos ventiladores.

Vale a pena?

O Graphite 230T é um case médio, com destaques importantes e pontos que deixam um pouco a desejar. Felizmente, as qualidades superam muito os defeitos, que possivelmente vão passar despercebidos pela maioria das pessoas.
Apesar de não ser um gabinete de luxo, o 230T possui um acabamento muito bom, além de um visual diferenciado que foge um pouco do aspecto mais tradicional. Exemplo disso é a cor laranja, que, quando combinada com as luzes dos coolers frontais, apresenta um resultado muito bom.
(Fonte da imagem: Tecmundo)
O espaço interno é bem distribuído, com destaque para a baia de HDs lateral que oferece uma boa possibilidade de organização dos componentes internos. Outro destaque vai para os filtros de poeira, que sem dúvida são uma boa alternativa para diminuir a quantidade de pó no interior da máquina.
O Graphite 230T pode ser encontrado nos Estados Unidos por US$ 80 (cerca de R$ 177), um valor que está na média de outros cases da mesma categoria. No Brasil, o preço varia bastante de uma loja para outra, por isso é sempre bom pesquisar bem antes da compra.
No final das contas, o 230T é um gabinete muito bom e que certamente vai agradar àqueles que buscam um case um pouco diferente dos modelos tradicionais e que ofereça bons recursos.
Este produto foi cedido para análise pela Corsair.

Antonio Augusto Soares Lemos

Antonio Augusto Soares Lemos

Tecnologia do Blogger.